terça-feira, 23 de setembro de 2008

Poesia hoje!

O frio continua.
O frio pode ser uma forte inspiração poética.
A poesia mundial nos dá inúmeros exemplos disso, em especial a poesia inglesa, que volta e meia não só ambienta-se no frio, como também compõe personagens gélidas, como o velho sovina de Charles Dickens, de Um conto de Natal.
Contudo a literatura mato-grossense revela-se mais forte na paisagem colorida, nos animais do pantanal, e, acredito eu que dentro em breve, na pluralidade de nosso povo.
A literatura é uma forma de conhecimento do mundo, e não podemos esquecer que se conhece o mundo através da reflexão. Refletir deve ser um ideal de vida, claro que a reflexão inspirará ações e essas melhorarão a vida de uma sociedade.
A capacidade expressiva da literatura deve fundar uma nova ordem entre os que acreditam na mudança, deve-se mergulhar nesse processo de transformação maiêutica com a certeza de que se está fazendo o correto, que se está contribuindo de forma decisiva para uma melhoria na sociedade.
Os que se dedicam ao preparo das novas gerações devem aterem-se mais à literatura e seu poder.
Torcemos para que nosso inesperado frio sirva de alavanca e retire a pedra racionalidade deixando o caminho livre para a criatividade.

Nenhum comentário: