sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Adoração

Sob o sol
ou sob a lua
seus olhos não piscavam
seu rosto não mudava
sua voz era uníssona

Como um sol
ou uma lua
iluminavas seus olhos
seu rosto
e sua voz

Sentia o calor
inundar de prazer
sua vigília santa
dia e noite velando
o maior tesouro do mundo

Emanava o calor
e inundava-lhe de prazer
na vigília santa
que dioturnamente era feita
ao maior tesouro do mundo

Cada segundo vivido
era um sorriso
a mais na memória
colhido do sublime altar
do holocausto e do incenso

Na eternidade de um segundo
sorrisos produzia
na memória do adorador
que diante do grande altar
oferecia sacrifícios e incenso

Cena celeste
amalgama perfeito
altar e adorador
Deus e fiel
sangue e sacrifício

Durai para sempre
no mundo eterno do coração
na solidão de uma lágrima
no silêncio do engasgo
no tempo da paixão.

E.R.G.

Nenhum comentário: